terça-feira, agosto 31, 2004

Déjà vu?

Déjà vu, a sensação que sempre intrigou o ser humano, que o fez acreditar em vidas passadas ou algo isotérico.
Esta sensação é conhecida por criar um estado de vivência repetida no indivíduo, a viver algo que já tinha vivido, a ver algo que já tinha visto, a dizer algo que já tinha dito exactamente nas mesmas circunstâncias às mesmas pessoas. É normal que esta sensação intrigue, e mesmo apavore, o ser humano mas graças à investigação neurológica já se sabe algo mais acerca desta sensação, sensação que afinal pode não passar de falhas corticais de processamento de informação.

Arthur Funkhouser de maneira a delinear esta sensação e permitir um estudo mais aprofundado dividiu-a em 3 categorias: déjà vecu (já experimentado), déjà senti (já sentido), e déjà visité (já visitado).

Déjà vecu é a sensação mais regularmente sentida e envolve viver um acontecimento e sentir que ele já tinha sido vivido, usando para tal todos os sentidos: visão, tacto, olfacto, gosto e audição, e há ainda a sensação de que se sabe o que irá exactamente acontecer de seguida.
Déjà senti não envolve qualquer premonição e o episódio dissipa-se rapidamente da memória, esta sensação encontra-se fortemente relacionada com a captura parcial de experiências de pacientes que sofrem de epilepsia do lobo temporal.
Déjà visité trata-se uma situação mais rara na qual um indivíduo visita um local completamente novo para si e sente que lhe é familiar. Encontra-se mais associado a dimensões espaciais enquanto que o déjà vecu é associado com situações e processos.

Mas aquilo que as pessoas devem perguntar é: Mas como é que acontece isto? São sinais de alguma vida passada?
A resposta é ainda incompleta mas já se possui muita informação. Quanto a uma vida passada duvido que os neurónios sejam hábeis nas viagens temporais, e se conseguissem interligar exactamente da mesma forma que se encontram no indivíduo actual, por isso e por toda uma panóplia de questões científicas a vida passada está posta de parte. Vamos analisar as várias teorias:

O neuropsiquiatra Pierre Gloor ao conduzir experiências de memória defendeu a teoria do "processamento duplo" em que a memória se suportava em dois sistemas: o de familiaridade e o de recuperação, tendo especulado num artigo de 1997 que o déjà vu ocorre nos raros momentos em que o sistema de familiaridade é activado mas o de recuperação não. Outros estudiosos argumentam que o sistema de recuperação não é desligado completamente mas possui falhas de sincronização.

Investigadores descobriram que a sensação de déjà vu pode ser desencadeada manualmente ao se estimular electricamente regiões específicas do cérebro. Josef Spatt, através do seu trabalho com epilépticos argumentou que as sensações de déjà vu são causadas por breves e inapropriados estímulos no córtex parahipocampal, córtex este associado com a habilidade de detectar familiaridade.

Outra das teorias estudadas e cientificamente testada consiste em defender que basta um elemento isolado para despoletar sensações de déjà vu, ou seja, um elemento relativamente conhecido, quer seja num filme, revista, fotografia ou mesmo já visto, pode provocar a recuperação de outras memórias que o indivíduo já tinha adquirido mas que ao não ter consciência do facto se torna em déjà vu já que o elemento e a memória não lhe são estranhas.

Alguma bibliografia:

segunda-feira, agosto 30, 2004

Ciclo Menstrual

Na sequência do post anterior e de modo a evitar que seja necessário recorrer-se a este tipo de contraceptivos existem vários metódos que retiram o grande risco de se engravidar ou contrair DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis), mas além desses métodos é necessário antes de mais conhecer-se o sistema em que estes actuam e também conhecer o corpo, neste caso o corpo feminino, que quando bem controlado é possível evitar-se alguns dissabores, apesar das irregularidades inerentes.

Ciclo Menstrual

No início do ciclo (Dia 1) a glândula pituitária secreta FHS ( follicule stimulating hormone - Hormona folicular estimuladora) que causa o aparecimento de um folículo imaturo nos ovários
A FHS continua a exprimir-se e a permitir o desenvolvimento do folículo, até que a um certo momento (por volta do 6º dia) o próprio folículo começa a secretar estradiol que possui dois grandes efeitos:
  • Estimula o crescimento das paredes interiores do útero.
  • Estimula receptores na glândula pituitária.

Assim que um nível suficiente de estradiol é alcançado, a glândula pituitária é estimulada a libertar LH (luteinizing hormone). Esta hormona irá causar a ocorrência da ovulação (Dia 9).

A ovulação ocorre e a LH provoca a libertação do óvulo que se dirigirá para as trompas de falópio. A partir desde momento, se o esperma se encontrar com o óvulo a mulher terá a probabilidade de ficar grávida (Dia 12).

A LH continua a sua influência e o folículo agora vazio transforma-se em corpus luteum que começa a secretar estradiol e progesterona, substâncias estas que serão importantes na formação do útero para a sua nova tarefa: a construção de condições para receber o óvulo, aumentando o volume das paredes e formando uma textura adequada para a recepção e captagem do óvulo, que poderá já estar fecundado ou fecundado durante este processo de captagem.

Se não ocorrer fecundação os níveis de progesterona começarão a decrescer e os vasos sanguíneos das paredes do útero começaram a contrair-se dando início à menstruação (dia 26 em média). Finalizado isto o ciclo tem o seu fim e está pronto a começar-se outro.

A linha verde representa a fertilidade da mulher.

Artigo baseado em: Carlson. Neil R., NeuroScience Animations For Foundations of Physiological, Fifth Edition

Contracepção de Emergência


O que é?

A contracepção é um método ocasional de emergência usado após uma relação sexual mal ou não protegida em que haja risco de gravidez não desejada.

A pílula do dia seguinte, como muitos a conhecem, contém altas doses de estrogénio e progesterona e tem que ser tomada, preferencialmente nas primeiras 12 horas após a relação sexual não protegida, até 72 horas (3 dias) no máximo. A toma desta pílula específica pode prevenir com eficácia e segurança uma gravidez não desejada. No entanto a sua eficácia é tanto maior quanto mais rápida for tomada.
Este método actua de várias formas, para a prevenir a gravidez, consoante a altura do ciclo menstrual em que for tomada:
  • Pode impedir ou atrasar a ovulação;
  • Pode impedir a fecundação/ fertilização (encontro do óvulo com o espermatozóide);
  • Pode impedir a implantação do óvulo na parede do útero (nidação), isto é, o início a gravidez.

Mas, em relação aos diversos mecanismos de acção, aquele mecanismo que cientificamente está comprovado e actua é o primeiro, ou seja, não chega a dar-se a fecundação.

A pílula do dia seguinte pode provocar, em algumas mulheres, efeitos secundários, tais como:

  • náusea e vómito;
  • tonturas, fadiga, cefaleia (dores de cabeça);
  • dores abdominais inferiores;
  • tensão mamária;
  • atraso na menstruação;

Se vomitar nas primeiras 3 horas, é provável que a absorção do medicamento não tenha sido feita pelo organismo, sendo assim deve-se repetir a mesma dose de medicação.

A contracepção de emergência deve ser usada como recurso excepcional, uma vez que:

  • Não previne a ocorrência de uma gravidez em qualquer situação, como tal após a utilização da contracepção de emergência deve-se utilizar um método contraceptivo de barreira (preservativo, espermicida...) em cada relação sexual até ao próximo período menstrual;
  • A administração desta pílula durante o mesmo ciclo menstrual contribui para uma sobrecarga hormonal com possíveis alterações graves no ciclo menstrual;
  • Não pode interromper uma gravidez;
  • Não protege contra a SIDA e outras Doenças Sexualmente Transmitidas (DST).

Também não é recomendável recorrer à contracepção de emergência regularmente, tanto pelos efeitos secundários que pode provocar nalgumas raparigas, quanto pela cada vez menor eficácia contraceptiva em relação a outros métodos contraceptivos.

Após a administração desta pílula, o fluxo menstrual aparece na data prevista e com uma abundância normal; no entanto, poderá surgir alguns dias antes ou depois do esperado. Se surgir um fluxo anormal no dia esperado a menstruação ou se esta tiver mais do que 5 dias atrasada, é aconselhável fazer um teste de gravidez.


Para mais informações:

domingo, agosto 29, 2004

Arco Reflexo

Quem de nós nunca tocou em algo quente e teve um imediato reflexo de retirar a mão e lançar a famosa asneira "f...!!!" ?? Se analisarmos bem a situação apenas depois de retirarmos a mão é que o cérebro interpreta a dor e processa a dicção quase inconscientemente.
Este é um dos melhores mecanismos que remetem para a sobrevivência ou morte do índividuo, já que os milisegundos que a informação demora a ser transmitida ao cérebro, analisada, processada e respectiva resposta podem significar a diferença entre a vida e a morte, como no caso de estarmos numa passadeira e ouvirmos uns travões ou buzina e agimos instantânea e inconscientemente, apercebendo-nos apenas depois do perigo.
Mas se não é transmitido ao cérebro e é sabido que o cérebro é que movimenta todas as nossas acções como é que isto pode ser possível?

A resposta para esta pergunta-se simplifica-se em duas palavras: Arco Reflexo.
Funciona baseado neste sistema que passo a explicar:






Temos como exemplo o braço mas no entanto qualquer parte do corpo pode ser aplicada a este esquema.
Tomando como situação o levantar de uma panela para colocar de cima de uma mesa. Se pegarmos na panela quente sem termos noção da sua temperatura os receptores térmicos presentes nas nossas mãos enviam um sinal via neurónio sensorial, mas no entanto dada a gravidade da situação se ele for ao cérebro corremos o risco de uma queimadura profunda, e é aqui que entra mais uma vez a inteligência corporal a nível fisiológico. O neurónio faz sinapse (comunicação) com um neurónio motor a nível da espinal medula por meio de um neurónio de associação, neurónio motor que processa imediatamente informação para os músculos de forma a que estes actuem para evitar danos, durante este processo o neurónio envia para o cérebro a informação que transmitiu ao neurónio motor, e dada a velocidade de cada uma das vias a reacção inconsciente é mais rápida que a racional.

No entanto é possível inibir este reflexo se tivermos conhecimento da temperatura da panela e formos obrigados a colocá-la de cima da mesa. Já que a este arco encontra-se ligada uma via que vem do cérebro e é capaz de inibir a resposta motora imediata. É nestas situações que "estamos à rasca" para largar algo que nos está a provocar danos mas no entanto temos de realizar até ao fim. Em caso de lesão deste tipo de vias, quer hiper ou hipo excitação o sujeito pode apresentar reflexos completamente descontrolados ou nenhum reflexo mesmo que estimulado.

Existem vários testes para testar os reflexos que poderão ser apresentados um dia num post, reflexos esses que podem ser elaborados alguns por amadores, de maneira a identificares estes reflexos inatos e outros apenas por especialistas. Como exemplo fica o reflexo do tendão patelar, mais conhecido pela "pancada no joelho" que provoca uma reacção da perna impossível de controlar por mais esforço que se faça.

sábado, agosto 28, 2004

A Ciência da Sedução III

Apresentados os sinais positivos e negativos a que temos de estar atentos durante um encontro falta-nos o mais importante: o local e "programa" do encontro, que se bem escolhido haverá uma maior probabilidade de aparecerem os sinais positivos de interesse. Vamos analisar alguns locais ou situações:

Situação de Perigo --> Uma situação de perigo vivida e ultrapassada a dois é uma receita ideal para um encontro. Como por exemplo: montanha russa. As situações de perigo desencadeiam uma hiper produção de seratonina e dopamina, substâncias estas que aumentam a actividade cerebral, logo intensificam as emoções. Geralmente depois de vivida uma situação de perigo e respectivo prazer de se ter livrado dela, esse prazer é inconscientemente atribuído ao parceiro por ter vivido também essa situação, criando-se assim um laço químico e sentimental.

Surpresa --> Uma situação de surpresa liberta exactamente as mesmas substâncias que a situação de perigo criando um igual laço entre o casal, se a surpresa for de igual intensidade para os dois cria-se uma maior conecção.

Humor --> Situações de humor e riso libertam substâncias que relaxam o cérebro e actuam de modo a que o indivíduo se sinta bem, estado este que o torna mais receptivo para o causador deste mesmo bem estar.

Exercício --> Se queres uma situação propícia para cativar alguém combina com ela algo relacionado com desporto. A execução de tarefas desportivas liberta no nosso corpo uma dose mais elevada de endorfinas, endorfinas essas que aumentam o metabolismo assim como a actividade cerebral, aliado a isso encontra-se o maior envio de feromonas.

Dada esta informação tens todas as condições para seres original e ao mesmo tempo científico, mistura que não deve falhar.

A Ciência da Sedução II

Na continuação do post acerca de sinais físicos que demonstram um certo interesse por parte do parceiro, inconsciente ou não, vão ser aqui apresentados os sinais perceptíveis que apontam para uma falta de interesse ou mesmo desprezo, que bem entendidos são um claro sinal de STOP.

Compressão dos lábios --> Quando o parceiro comprime os lábios até ficar vísivel apenas uma "risca de lábio" é um péssimo sinal, maioritariamente verificado nas mulheres. Indica que o momento vivido ou o parceiro não corresponde às suas expectativas e que, possivelmente, desejaria estar noutro lugar.

Espaçamento posicional --> O indivíduo encontra-se distanciado do parceiro, em termos físicos, quando andam, se sentam, ou em qualquer tarefa. Esta distância é o suficiente para transmitir uma mensagem clara.

Mão atrás da cabeça --> Sinal negativo, durante uma conversa na maioria das vezes, que demonstra desinteresse e algum aborrecimento (ou mesmo muito).

Distância Angular --> Já explicada no post anterior. Numa situação em que ambos os troncos podem estar direccionados um para o outro e um dos parceiros mantêm uma distância angular (apontando o tronco noutra direcção), demonstra desinteresse.

Braços Cruzados --> Sinal claro de receio ou indecisão no decorrer de uma situação.

A terceira sequela é dedicada a situações que despoletam mais facilmente o acto de se apaixonar por alguém (depois não digam que não sou amigo :D )

quinta-feira, agosto 26, 2004

A Ciência da Sedução I

A sedução não se trata, como é óbvio, de um comportamento exclusivo do ser humano e assim como verificado nos animais existem sinais fisiológicos internos e externos capazes de determinar se a pessoa com quem estás se encontra realmente atraída por ti. São sinais que indicam interesse e te ajudam a decidir no rumo que podes dedicar a uma relação.
Aqui ficam alguns dos sinais a que te aconselho a estar atento(a):

Sincronia --> Imagina que efectuas um acto deliberado tal como pegar no copo enquanto falas, se essa pessoa o fizer também, de uma forma mais ou menos inconsciente é um óptimo sinal.

Sobrancelhas levantadas --> O erguer das sobrancelhas, criando algumas rugas na testa, denota um elevado interesse e a vivência de emoções mais fortes.

Posição dos pés - Pé de Pombo --> Esta posição do pé denota interesse, trata-se da projecção da biqueira para a frente levantando-se o calcanhar, quando sentado. É um sinal curioso que pode ser comprovado ao atirar-se algo para o chão e dar uma espreitadela.

Braços estendidos e ombros flectidos --> Outro sinal de "submissão" e interesse pelo parceiro.

Mímica --> Algo parecido com o conceito de sincronia mas ainda mais deliberado e propositado.

Orientação corporal --> A orientação do tronco é extremamente importante assim como a da cabeça, sendo uma posição frontal um sinal de maior receptividade. Quando existe aquilo que se denomina Distância Angular, (tronco aponta em outro sentido além do parceiro) é um sinal de "desprezo" e falta de interesse.

Estes são apenas alguns dos aspectos positivos que uma visão informada e detalhista pode detectar no parceiro, dando assim importante informação sobre este jogo de sedução.
Nos próximos posts desta sequela serão abordados os aspectos negativos, aquelas que são as melhores situações para alguém se apaixonar e ainda o papel importante das feromonas, que é comprovado cientificamente que contam tanto neste jogo como a aparência.

Artigo baseado no documentário da autoria do Odisseia - Mistérios da Sedução.

terça-feira, agosto 24, 2004

Evolução Cerebral

Ao longo de milhares de anos o volume craniano humano tem vindo a aumentar de modo a suportar o também crescente cérebro, mais concretamente a nível pré-frontal.
Ao analisar-se a evolução humana é inevitável relacionar inteligência com tamanho do cérebro, já que com a frequência de utilização de ferramentas, uso de criatividade e noção de aplicabilidade na construção de novos instrumentos, era cada vez mais necessário possuir capacidades cognitivas que acompanhassem as necessidades do homem. Essas capacidades cognitivas só seriam possíveis tendo uma base neurológica a suportá-las.

Pode-se retirar a conclusão de que se torna numa espécie de ciclo: novas tarefas estimulam o cérebro e permitem a sua evolução, enquanto que um cérebro melhor estimulado e consequentemente desenvolvido permite a realização de novas tarefas.
O crânio do Australopithecus Aferensis possuía um volume aproximado de 400 cc, (mesmo tamanho do cérebro de um chimpanzé), o tamanho do cérebro comum do Homo Habilis (Homo mais antigo, primeiro na utilização de ferramentas) rondava os 750 cc, enquanto que nos primeiros Homo Erectus (1,7 - 1 milhões de anos) rondava os 900 cc, verificando-se no entanto neste Homo o maior aumento evolutivo em tamanho do cérebro já que nos H. Erectus de há 500 mil anos já se verificava um volume craniano de 1100-1200 cc, estando dentro dos limites de variação do volumes do Homo Sapiens.

O crânio do homem actual, Homo Sapiens Sapiens, ronda os 1400 cc, que tendo em conta a relação entre massa corporal e massa encefálica é o maior cérebro do mundo animal.
É ainda de realçar que o crânio neandertalense rondava os 1500 cc, maior que o homem actual, mas no entanto estes possuiam uma massa corporal muito maior, sendo superiores em termos de robustez e constituição óssea. Talvez aborde o Neandertal num post já que esta espécie de "ser humano" merece atenção especial devido às inúmeras questões que levanta.

Da esquerda para a direita: Homo Habilis; Homo Erectus; Homo Sapiens. De salientar o aparecimento da "testa" que denota o crescimento cerebral pré-frontal responsável pela inteligência e execução de tarefas abstractas.

A Mitologia de um Medo

Porquê a Aracnofobia??

Exemplar da aranha Loxosceles intermedia(aranha-marrom)

O medo de aranhas é desproporcional ao risco que elas oferecem. É o que garante Geoffrey Isbister, da Universidade de Newcastle, na Austrália. Num artigo publicado em 7 de Agosto na revista The Lancet, ele revê a mitologia passada e presente em torno desses invertebrados.
Segundo o autor, poucas espécies nos podem causar algum mal e dificilmente a sua mordida mata ou provoca morbidez grave. Mas essa não é a impressão geral, como mostra uma pesquisa feita em 1994 no Reino Unido. Entre 261 adultos consultados, 18% dos homens e 32% das mulheres confessaram que aranhas os deixam ansiosos, nervosos ou muito assustados.


Por que então o medo de aranhas se perpetua? O artigo apresenta três modelos para explicar o fenômeno. O primeiro, de inspiração darwinista, defende que se trata de um medo inato de possíveis ameaças à perpetuação da espécie. Isbister ressalva, no entanto, que a aracnofobia é característica sobretudo dos povos ocidentais -- "muitas culturas referênciam aranhas ou vêem-nas como símbolos de boa sorte", afirma.
O segundo modelo atribui o temor ao condicionamento provocado por experiências negativas com esses animais. Não há, no entanto, evidências que comprovem essa hipótese. Já a explicação defendida pelo autor associa o medo à repulsa que as aranhas provocam, disseminada pelo convívio social.


Isbister aponta factores históricos que alimentaram o medo de aranhas -- como a história do tarantismo, doença surgida na cidade de Taranto (Itália) que teria ameaçado a Europa entre os séculos 15 e 17. Aranhas da espécie Lycosa tarantula foram acusadas de causar esse mal cujos sintomas eram suor, tremor, insônia, dor, rigidez corporal e fraqueza.
Curiosamente, acreditava-se que, para curar-se, o doente deveria dançar freneticamente durante quatro dias. Enquanto em alguns lugares a doença acabou associada à loucura por conta disso, em outros se tornou um pretexto para orgias ou festivais de dança, o que deu origem à famosa tarantela.
O passar dos tempos não extinguiu as crenças populares em torno das aranhas. "O mito atual afirma que muitas espécies são responsáveis por úlceras necróticas", afirma Isbister. "O diagnóstico das mordidas de aranha ainda se baseia sobretudo em suspeitas e no medo desses animais." Segundo ele, picadas de aranha podem causar o aracnidismo necrótico -- patologia mal definida e caracterizada por necroses na pele.


Espécies do género Loxosceles seriam as causadoras das principais ocorrências desse mal. Esse é o género das "aranhas-marrons" (L. intermedia) que proliferaram nos últimos anos em Curitiba e foram responsáveis por mais de 3 mil picadas registradas. Isbister relata casos de necrose ocorridos em São Paulo nos anos 20, aparentemente causados por "aranha-de-grama" (Lycosa raptoria ou L. erythrognatha), comuns em locais desflorestados e áreas urbanas. No entanto, um estudo de 1990 mostrou que, entre 515 casos de mordidas de aranhas dessa espécie, nenhum resultou em necrose.
O autor defende que se investigue melhor a relação entre as mordidas de aranha e os casos de necrose antes de conclusões precipitadas. "Um amplo estudo australiano mostrou que é altamente improvável que úlceras necróticas resultem de mordidas de aranha", alega. "Outras causas, como infecção bacteriana, que produzem necrose parecida com a de Loxosceles, não têm sido suficientemente investigadas pelos médicos, que preferem atribuir a necrose à picada de aranha", corrobora o biólogo Rogério Bertani, do Instituto Butantan.


Aline Gatto Boueri, em Ciência Hoje On-line

Acidente... Que fazer!!!

Olá amantes do conhecimento!!!

Hoje venho trazer um tema que penso ser de conhecimento obrigatório na íntegra por qualquer pessoa civilizada. Vou falar de primeiros socorros, mais concretamente do procedimento correcto em caso de acidente e/ou de paragem cárdio-respiratória e do que se deve fazer.

Vou tentar fazer um apanhado simples e facil de perceber acerca do que deve ser feito em matéria de primeiros socorros. Pode parecer que algumas coisas sejam demasiado óbvias, mas ainda assim, pouca gente as sabe fazer bem, em muito devido à irresponsabilidade e falta de civismo e interesse das pessoas bem como de algumas entidades.

Acidentes, infelizmente, são ocorrência diária nas comunidades. Para as vítimas de acidentes, muitas vezes, trata-se de questão de vida ou morte.


FINALIDADES DO SOCORRISMO

> Preservar a Vida> Evitar o agravamento do sinistrado
> Promover o seu restabelecimento
> Partilhar com a equipa de TAS (Tripulantes de Ambulâncias de Socorro) a situação e os sinais/sintomas registados.
Princípios gerais do Socorrismo

1º Prevenir
2º Alertar
3º Socorrer
Prevenir
Evitar o agravamento do acidente e da vítima
Esta acção é também denominada prevenção secundária. É necessário, antes de tudo, afastar o perigo da vítima ou a vítima do perigo. Devem ser desenvolvidas acções de forma a evitar o agravamento do acidente ou que se produzam mais acidentes.
A primeira atitude a tomar perante um acidente é avaliar a segurança do local do sinistro. Segue-se a avaliação do estado de saúde da(s) vítima(s), averiguando a gravidade das lesões e, por fim, a definição de um plano de intervenção.
É muito importante que o socorrista mantenha uma atitude serena, calma e tranquila capaz de transmitir aos demais e principalmente ao(s) acidentado(s) valores como confiança e conforto, quer nos gestos quer nas acções que terá de realizar.
Em primeiro lugar, o socorrista deve proteger-se do perigo, procurando usar o bom senso. Evitar a todo o custo que surja mais uma vítima: o próprio socorrista.
Prevenção do agravamento de um acidente rodoviário:
De dia:

> Estacionar o automóvel, fora da faixa de rodagem, depois do local do acidente, devidamente assinalado com as luzes de presença e os quatro piscas acesos.
> Sinalização do local do acidente:
>
> Colocar os triângulos a cerca de 150 metros do local do acidente nos 2 sentidos da faixa
> Perto dos triângulos deve estar alguém com lanternas ou com coletes reflectores para mandar abrandar o trânsito.
> Avaliar a segurança do local do local do acidente e do sinistrado


> Pedir a alguém que se certifique que nenhuma vítima foi expelida ou tentou mover-se pelo seu próprio pé.
> Pequenos focos de incêndio podem ser apagados com um extintor ou com areia ou terra (nunca pôr água pois espalha o combustível).
> Ver o estado do automóvel de modo que não ocorra outro acidente:
>> Desligar a ignição
>> Desligar a bateria
>> Puxar o travão de mão
>> Colocar calços nas rodas para que não haja deslocamento do veículo.
> Não mexer no carro nem nas vítimas
· Caso não consigamos afastar o perigo da vítima, devemos afastar a vítima do perigo (só em último recurso em que a vítima corra risco de vida) por arrastamento.
> Distribuir as tarefas pelas pessoas que queiram ajudar.
De noite:
Procede-se da mesma maneira, mas devemos estacionar o carro do socorrista antes do local do acidente com os médios do carro do socorrista acesos ou com lanternas.
Alertar
Telefonar para o 112; dizer o estado da vítima e a localização do acidente.
Socorrer
Segundo os sintomas e sinais apresentados pela vítima

EXAME DO ACIDENTADO
Exame primário (4 seg.)
Vítima inconsciente:
> Grau de consciência (consiste em ver se a vítima responde aos estímulos):
> Bater nos ombros
> Chamar a pessoa
> Beliscar
> Tocar nas pálpebras
1- Ventilação (10 segundos): VOS
V – ver o movimento da caixa torácica
O – ouvir respiração
S – sentir o ar expirado do sinistrado a bater na cara

2-Circulação
avaliar o pulso (no pulso ou na artéria carótida no pescoço).
Para além da possibilidade de paragem cardíaca, a vítima pode-se encontrar em:
Taquicardia – quando tem muitos batimentos por minuto (aproximadamente 120/min)
Bradicardia – quando tem poucos batimentos por minuto (aproximadamente 40/min)
Se a vítima apresentar somente paragem respiratória, prosseguir imediatamente com a respiração artificial.Se apresentar paragem cardio-respiratória, prosseguir com RCP
Seguidamente farei um breve resumo destes dois procedimentos.

RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL
1- Retire tudo o que esteja solto na boca (desobstrução digital);
2- Assegure que a cabeça da vítima está em extensão e o queixo levantado.

3- Tape o nariz da vítima, pinçando-o entre o polegar e o indicador, mantendo com a outra mão a elevação do queixo sem fechar a boca da vítima, Encha o peito com ar, coloque os lábios à volta da boca da vítima assegurando que não há fugas de ar, e sopre para o interior da boca da vítima de forma a fazer mover o peito da mesma com a entrada de ar. A insuflação de ar deve ser lenta (cerca de dois segundos).Fazer duas insuflações eficazes.
4- Mantendo sempre o posicionamento da cabeça da vítima, o reanimador deverá afastar-se da boca da vítima para permitir a saída do ar. Depois de esperar cerca de quatro segundos, deve repetir-se o procedimento da insuflação de ar.

Ritmo
2 insuflações eficazes
Uma insuflação de 4 em 4 segundos nos adultos
Uma insuflação de 3 em 3 segundos nas crianças
Uma insuflação de 2 em 2 segundos nos bebés
NOTA: Se houver resistência à entrada de ar ou o tórax da vítima não se elevar com a insuflação de ar poderá ser por mau posicionamento da cabeça ou existência de um obstáculo à entrada do ar. Reposicionar a cabeça e retirar objectos visíveis de dentro da boca da vítima e voltar a insuflar o ar.

REANIMAÇÃO CARDIO-PULMONAR

1- O primeiro passo na RCP é colocar a vitima em hiperextensão, distendendo o pescoço para garantir que as vias aéreas estão desobstruídas.
2- Seguidamente deve-se colocar uma das mãos sobre a testa e apanhando o nariz de modo a evitar que o ar saia. A outra mão coloca-se por baixo do pescoço da vitima de modo a que as vias respiratórias estejam desimpedidas.
3- Apertando o nariz com uma mão encosta-se a boca junto à da vitima e insufla-se fortemente de modo a que seja visível a elevação do esterno. Após cada insuflação soltamos a o nariz da vitima e enquanto se o recupera fôlego a cara do operador fica situada por cima do nariz e da boca da vitima e com ela virada para o esterno da mesma, deste modo poderemos sentir o ar a sair e estamos atentos ao movimento do esterno.
4- A primeira vez que se insufla ar injecta-se 3 vezes ar e 15 massagens. Só depois é que passamos ás 2 insuflações e 15 massagens.
5- Após insuflar ar deve-se proceder à massagem cardíaca. Com os dedos entrelaçados e com os braços esticados devemos proceder à massagem. Importante o pormenor dos braços esticados, pois a força aplicada sobre o esterno provem do movimento de cintura e não do dobrar dos braços. movimento de cintura e não do dobrar dos braços.

RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS NA RCP
Nunca interromper a RCP por mais de 10 segundos (por exemplo em pequenas deslocações) e no global, 30 segundos.
> Não deslocar a vitima para um local mais conveniente até estar estabilizada a situação e em condições de ser evacuada. Nunca comprimir o apêndice xifóide (final do esterno).
> Não flectir os membros superiores do socorrista enquanto se fazem CT (compressões torácicas).
> Entre as CT (na descompressão) a base da mão deve manter-se em contacto com o esterno, embora sem fazer pressão.
> A extensão da cabeça, ou subluxação do maxilar inferior, deve ser bem feita em cada insuflação realizada. Pode correr-se o risco de insuflar ar no estômago e provocar regurgitamento do conteúdo gástrico com consequente aspiração do vómito.
> Não cruzar as mãos ao fazer CT.
> Não inclinar o corpo para trás. O reanimador deve ter os seus braços perpendiculares ao corpo da vítima.
> Não tocar na caixa torácica com os dedos enquanto se fazem CT.
> Evitar movimentos secos, bruscos e imprevistos.
ATENÇÃO: Ás vezes, enquanto se fazem as CT, ouve-se um som tipo estalido. Não se deve ficar alarmado. A crepitação provém das cartilagens ou das próprias costelas.
Espero que ao chegarem ao fim percebam e tenham em mente a importância que estes conhecimentos poderão ter um dia... Nunca se sabe quando será. E, sabendo bem este pequeno excerto, (não digo salvar uma vida) mas evitar uma morte torna-se perfeitamente possivel.
Tão facil e ao alcance de todos.
Porque não.
Espero que tenha sido do vosso interesse. Do meu já faz parte e sempre será.

segunda-feira, agosto 23, 2004

Línguas ameaçadas

Falamos muito de animais ou plantas ameaçados de extinção, muitos de nós estão até sensibilizados para este problema e temos consciência da perda inestimável que constitui o desaparecimento de uma espécie.
Mas será que reconhecemos a importância da diversidade cultural humana? E dentro desta diversidade, será que reconhecemos o papel da língua como repositório cultural e ambiental de um povo?
O português é a sexta língua materna mais falada no mundo, conforme estatísticas da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), que revela a existência de 6,7 mil línguas vivas no mundo.
De acordo com o documento "Língua Portuguesa: Perspectivas para o Século XXI", elaborado pelo Instituto Camões (IC), a língua portuguesa tem ganhado falantes de forma contínua, desde o início do século XX. Em 2000, a Unesco estimou em mais de 176 milhões o número de falantes de português no mundo. O que significa que está de boa saúde!
E as outras seis mil e tal?
Bem, segundo artigo publicado no nº 137 do jornal A Página da Educação "metade das línguas indígenas do mundo está a desaparecer, facto que ameaça não só a cultura, mas também o meio ambiente".
234 línguas indígenas contemporâneas já desapareceram completamente. E prevê-se que durante o século XXI 90% das línguas faladas no mundo desaparecerão.
Segundo o PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), 32% das línguas faladas no mundo encontram-se na Ásia, 30 % em África, 19 % na Oceania, 15% nas Américas e 3% na Europa e são diariamente ameaçadas pela crescente globalização em todos os domínios. Os segredos da natureza contidos nas canções, nos contos, na arte e no artesanato dos povos indígenas e o saber milenar acumulado pelas práticas quotidianas podem perder-se para sempre. Os estudos estimam que, das línguas faladas no mundo entre, 4.000 e 5.000 são indígenas. E mais de 2.500 estão ameaçadas de desaparecimento imediato, enquanto muitas outras perdem pouco a pouco a sua ligação com a natureza e sofrem os efeitos da aculturação.
Assim, no recente Fórum de Ministros dos cinco continentes, realizado em Nairobi, o PNUMA declarou-se favorável à defesa das culturas e línguas indígenas como prioridade para a proteção do meio ambiente.
Para Klaus Toepfer, Director Executivo do PNUMA, "a liberalização dos mercados do mundo é talvez a chave do crescimento económico nos países ricos e pobres, mas isto não deve ser feito em detrimento dos milhares de culturas indígenas e das suas tradições. O desaparecimento de uma língua e do seu contexto cultural equivale a queimar um livro único sobre a natureza".

sábado, agosto 21, 2004

Greetings

Olá. O meu nome é Eduardo Matos e estou curiosíssimo por participar neste blog por tudo o que espero aprender e quiçá ensinar.

Antes de mais queria dar os parabéns aos promotores do blog pela escolha de um tema tão ambicioso e convidativo.
Quero também, desde já, agradecer o convite que me foi enviado, pelo qual me sinto honrado, e através do qual espero, igualmente, honrar e promover o conhecimento desta "blogosfera".

Quanto a mim: sou um jovem ambicioso e desejoso de aprender, nascido em Belmonte há 22 aninhos. Estou actualmente a frequentar o 4º ano de Medicina em Coimbra e tenho como principais áreas de interesse, além de tudo o que trata de saúde (com especial destaque para a Neurologia), a música, política e o associativismo. Mas, na realidade, tudo me interessa.

Considero-me uma pessoa muito dedicada e empenhada e que tento sempre fazer tudo para melhorar os aspectos menos bons com que me deparo ou observo. Espero que este blog me sirva (a mim e a todos) para alertar e tentar sempre melhorar.

Saudações
Eduardo Matos

quinta-feira, agosto 19, 2004

Narcolepsia

Quem viu o filme Rat Race ou Corrida de Loucos decerto irá reconhecer esta perturbação crónica do sono no personagem desempenhado por Rowan Atkinson, mais conhecido por Mr. Bean em que este adormecia a qualquer momento de maneira imprevisível sem dar importância a local ou hora.
Apesar de parecer uma paródia, tendo em conta o personagem que é, esta doença existe e é exactamente dessa maneira que ela se manifesta. Estes surtos de narcolepsia são completamente imprevisíveis e em grande parte irresistíveis, acontecendo mesmo depois de um adequado estado de sono durante a noite.
Existem 3 sintomas clássicos de narcolepsia, perturbação para a qual a causa ainda não é conhecida:

Cataplexia --> Episódios súbitos de perda de função muscular, variando de uma pequena perda até à paralisia corporal total. Este tipo de episódios podem ser despoletados por reacções emocionais tais como o riso, a raiva ou o medo. O sujeito encontra-se consciente durante todo o episódio que poderá durar de vários segundos a vários minutos.

Paralisia no sono --> Inabilidade temporária de falar ou de se mexer ao adormecer ou ao despertar.

Alucinações Hipnogógicas --> vivência, regularmente assustadora, de experiências de sonho que ocorrem ao despertar ou ao adormecer.

Esta perturbação é encontrada em indivíduos tanto do sexo masculino como feminino, em qualquer idade, sendo mais detectada em adolescentes e jovens adultos, existindo uma forte probabilidade de esta ser hereditária já que de 8% a 12% de indivíduos que padecem desta doença possuem no seu ciclo familiar próximo um familiar com narcolepsia.


Artigo baseado em: National Institutes of Health,(1996), Facts About Narcolepsy, NIH Publication No 96-3649, October 1996


1, 618033..., o número da beleza

Que tem este número que nenhum outro tem? Como se relaciona com a concha do náutilo, as couves-flor, os girassóis ou a Mona Lisa?
Tal como pi (3, 141 592...) representa o corpo geométrico mais perfeito, a esfera, o 1, 618 033... é o número da beleza. Luca Pacioli, um monge do séc. XV, chamou-lhe a Divina Proporção, talvez numa tentativa de adaptar os novos conhecimentos científicos aos dogmas da Igreja. Explicava ele que tinha correspondência com a Santíssima Trindade pois, tal como há uma mesma substância em 3 pessoas (Pai, Filho e Espírito Santo), uma mesma proporção será sempre encontrada entre 3 termos, nunca mais ou menos.
Por detrás desta explicação esotérica, própria de alquimistas e ocultistas, está o célebre código de Da Vinci, a relação que ele próprio baptizou como número áureo. Séculos mais tarde, o matemático norte-americano Mark Barr atribuiu-lhe a letra grega Fi em honra de Fídias, escultor que o utilizou nas suas obras.
Encontramos o número áureo em tudo o que consideramos belo: no corpo humano, animais e plantas, na arquitectura, o próprio DNA, o código da vida, obedece a esta proporção maravilhosa.

Desafio aqui os meus companheiros "contribuidores" deste blog (sim, disse bem! "contribuidores" porque contribuem, e a língua é um sistema vivo ;) ... mas isto será conversa para outro post!) a explorarem e apresentarem o tema aos leitores. Eu com números não me atrevo...

Recolhi informação para este post no último número da revista Super Interessante.
Se ficaram mesmo curiosos, "cusquem" aqui em baixo!


(As sementes do girassol surgem ordenadas em espirais construídas com o número áureo)

Olímpia 776 a.c. - Atenas 2004


Atenas 2004 é a última edição dos Jogos que constituem o encontro dos melhores atletas amadores do mundo. Nenhuma outra competição atrai tanta atenção e aplauso sendo seguida em todo o mundo através dos media, em especial a televisão.
Este ano voltam a casa.
Os gregos deixaram à humanidade um legado único na história de todas as civilizações: o desporto. Não só nas diversas modalidades, mas também na noção da integração dos povos a partir da competição desportiva.
A cada quatro anos, os gregos das mais diversas cidades-Estado reuniam-se na cidade de Olímpia para a realização de várias competições desportivas. O evento era assim designado Jogos Olímpicos ou Olimpíadas.
Os jogos funcionavam como uma celebração em honra de Zeus, o mais importante deus grego, e incluía provas de diversas modalidades desportivas, muitas delas ainda hoje praticadas em todo o mundo, como corridas, saltos, arremessos e lutas corporais.
Para a Grécia, os Jogos Olímpicos tinham tal importância que chegavam a interromper as guerras entre as cidades, num ritual conhecido por "trégua sagrada", de modo a não prejudicar a realização das competições. Mais ainda, todos os atletas que participavam das competições eram respeitados e intocáveis.
Mesmo sem valor material, a coroa de louros tinha um significado muito especial para cada atleta e para a sua cidade, pois representava a suprema glória da alma grega. Os vencedores eram tratados como heróis, conduzidos a casa em carros puxados por imponentes cavalos e recebidos com grandiosas festas e banquetes. Esculpiam-se estátuas em sua homenagem e quase sempre tinham regalias vitalícias. Isso porque os gregos acreditavam que os seus feitos acalmavam a ira dos deuses do Olimpo.
Apesar de certa rivalidade entre as polis, os jogos funcionavam num contexto muito mais amplo e representavam também a unidade do Estado grego.
E assim foi até que a Grécia foi anexada por Roma e incluída no Império. Na tentativa de incorporar as tradições que os gregos vinham perdendo, os jogos mudaram de cenário.
Mas não duraram muito tempo. Gregos e Romanos tinham ideias bem diferentes a respeito do desporto. Para os gregos, importava a participação de qualquer pessoa com saúde e disposição para correr ou arremessar discos, mesmo que não fosse uma campeã. Na visão dos romanos importava mais o espetáculo em si.
É a partir desse conceito que surge o circo romano, uma espécie de estádio fechado, onde eram realizadas as lutas de gladiadores ou o sacrifício de cristãos e escravos, entregues ao apetite de leões. Apesar de toda a crueldade, o povo divertia-se muito.
Sem a vibração dos gregos, os romanos não fizeram muito esforço para preservar a tradição e os Jogos Olímpicos foram desaparecendo lentamente, até serem esquecidos.
Por volta do ano 390 da era cristã foram definitivamente extintos por causa da conversão ao cristianismo do imperador Teodósio I, que resolveu acabar com todas as festas de origem pagã, entre elas, as Olimpíadas.
Durante séculos não se falou mais em Jogos Olímpicos. Até que, no começo do século XX, os jogos voltaram com a mesma nobreza que unia os gregos: confraternização entre os povos de boa-vontade, uma celebração da paz, do amor e da vida.

terça-feira, agosto 17, 2004

Trepanação

As doenças cerebrais, como é óbvio, não são um exclusivo do nosso tempo, efectuando-se operações no crânio já há milénios. A operação da qual se registam mais descobertas é a trepanação. A trepanação consiste em remover uma placa de osso de modo a aceder ao cérebro.


Utilizando-se as mais variadas ferramentas tais como serras, ferramentas estilo formão e martelo ou mesmo um instrumento circular, criado de propósito para o efeito, que possuia uma ponta com várias lâminas que ao provocar-se a rotação no extremo oposto este começava a furar a derme e o crânio.


Existem registos de utilização destas técnicas no Egipto Antigo, na Grécia e nos tempos pre-históricos e clássicos romanos, no Oriente Médio e Distante, entre as tribos célticas, na China (antiga e recente), na Índia, entre o Maias, Aztecas e Incas, entre os índios brasileiros (karaya e eugano), nos Mares de Sul, e na África do Norte e Equatorial (onde elas ainda são realizadas, inacreditavelmente).

Estas cirurgias, nada delicadas, eram, muitas vezes, efectuadas para saírem "espíritos" ou por alguma causa isotérica, sendo, no entanto, também aplicada para efectuar alterações directamente no cérebro quando se possuia mais informação teórica e prática.
Dependendo do tamanho do orifício, o índividuo poderia sobreviver durante vários meses apenas com a derme a cobrir, podendo assim conseguir sentir o seu próprio encéfalo na ponta dos dedos se o desejasse. De realçar que em crianças a reestruturação óssea é muito mais rápida, e dependendo do tamanho do oríficio, o osso poderia cobrir a abertura por completo.
Ainda é efectuada esta técnica nos nossos dias, mas no entanto são apenas efectuados 3 pequenos oríficios num plano que possibilitam a remoção da placa de osso, terminada a cirurgia é possível colocar de novo a placa, coisa que era impossível nos tempos antigos.
De salientar que durante todos os anos desde o primeiro registo de uma trepanação até ao século passado não se utilizava qualquer tipo de anestesia.

A necessidade de fazer manutenção.

A manutenção industrial é actualmente a ferramenta mais poderosa de produtividade e capacidade de resposta às necessidades do mercado.

Tendo sido sempre o sector considerado menos importante em qualquer tipo de empresa ou industria, devido a ser um sector de despezas e que não produz nem apresenta lucros. O seu estudo e evolução a manutenção é agora toda aquela capacidade de manter a fabrica a trabalhar sem qualquer paragem, que é quilo que normalmente qualquer patrão quer.

De inicio a manutenção começou por ser algo que se "usava" apenas quando havia uma avaria, quando a fabrica, ou o processo parava e era necessário intervir o mais rápido possível, para retomar a produção. Era uma manutenção que não custava no imediato nada aos patrões, mas sempre que havia uma avaria grave e a produção, ou mesmo toda a fabrica parava os seu custos ascendiam a quantias exorbitantes, falamos de uma manutenção não planeada, curativa.

Actualmente, a manutenção, é dos sectores que mais caro parece aos patrões e que menos aparenta fazer dentro da fabrica (se for bem feita). Porque, devido a todos os instrumentos que a manutenção tem actualmente ao seu dispor, ultrasonografia, termografia, magnetoscopia, ensaios de líquidos penetrantes, entre outros, a manutenção não repara, mas evita que aconteça qualquer avaria, daí aparentar ser um sector que não é necessário, porque como ferramenta pode reduzir o numero de avarias a zero, é a manutenção planeada preventiva.
Se não há avarias, logo a fabrica não pára, se a fabrica não pára, não há quebras na produção, temos um sistema perfeito, a trabalhar a toda a sua capacidade.

Olá!

O meu nome é São Alves e sou, até ao momento, a mais velha deste grupo de "aprendizes" da blogoesfera.
Licenciei-me em Línguas e Literaturas Modernas (Estudos Ingleses e Alemães) pela Universidade Clássica de Lisboa, e sou Professora de Inglês há cerca de 20 anos. Lecciono actualmente numa escola da Moita.
As minhas áreas de interesse são variadas, e vão desde as línguas estrangeiras e literaturas contemporâneas até à história e cultura europeias, mitologias clássicas, música e cinema, ambientalismo e protecção dos animais, passando pelo esoterismo. Tenho de momento uma posição muito crítica em relação a políticas e religiões. Incomodam-me fanatismos de qualquer tipo.
Sou uma pessoa atenta e preocupada com o mundo que me rodeia e espero que a minha participação neste blog possa contribuir para alargar os horizontes de todos nós.

Mosquitos - curiosidades

Sabia que...

Existem cerca de 2700 espécies de mosquitos no mundo actual?

Os mosquitos são encontrados em várias altitudes, desde o nível do mar até 3600 metros?

Um mosquito médio (Aedes aegypti) pesa cerca de 2 - 2,5 mg?

Numa "refeição" um mosquito (Aedes aegypti) suga, em média, cerca de 5 microlitros?

Os mosquitos voam a uma velocidade média de 1,5 a 2 quilómetros por hora?

Alguns mosquitos podem migrar para tão longe como 100 - 160 quilómetros?

Os mosquitos vivem em média de 15 a 65 dias?

Os mosquitos podem detectar uma "vítima" a 25 - 30 metros?

Os mosquitos podem localizar a presa (como nós) pela visão e detectando radiação infra-vermelha, dióxido de carbono e ácido láctico emitido pelas "vítimas"?

A saliva dos mosquitos contém anticoagulantes que evitam que o sangue das "vítimas" coagulem e que essas proteínas provocam a reacção alérgica associada às picadas do mosquito?

Algumas pessoas são mais atraentes para os mosquitos do que outras? (não se sabe porquê...)

Os machos nunca se alimentam de sangue e as fêmeas só se alimentam do sangue para obter as proteínas necessárias para a produção de ovos?

Os machos e a fêmeas não reprodutivas se alimentam do néctar das plantas?

Os ovos podem permanecer inertes durante mais de um ano e chocar quando inundados de água?

Mais de 50 espécies de mosquitos são resistentes a pelo menos um insecticida

segunda-feira, agosto 16, 2004

Hello

Olá, sou o Pedro Nave, frequento o curso de Português/Inglês na UBI e foi o meu amigo David Nogueira que me convenceu a entrar neste blog, por isso... aqui estou eu. As minhas áreas de interesse são algo vastas e vão desde o futebol, à informática, passando pela música entre muitas outras áreas.
Espero que este blog se revele interessante e que cresça rapidamente, de forma a que cada vez mais ideias aqui sejam discutidas.

Olá

Olá, chamo-me David Nogueira e frequento, à semelhança do Luís, a licenciatura de psicologia na UBI (Universidade da Beira Interior). Relativamente às minhas áreas de interesse, tou um pouco na linha do Luís relativamente à neuropsicologia (porque será?), mas também futebol, musica, cinema, informatica e literatura.
Fico extremamente agradado com a equipa multidisciplinar que se está aqui a formar, sem dúvida uma oportunidade interessante para aprender! Espero contribuir!
Qualquer duvida ou sugestão agradeço que me contactem!
Até à próxima

domingo, agosto 15, 2004

Cafeína

Se indagarmos pessoas acerca daquela que é a droga mais usada em Portugal talvez obtenhamos respostas como: marijuana, cocaína, heroína, álcool, mas no entanto a droga mais consumida é precisamente o café.
Entenda-se por droga toda e qualquer substância, não receitada mediante prescrição médica, susceptível de provocar alterações no organismo, sendo o café uma dessas drogas que provoca adicção/vício. Consumimos café numa simples conversa, numa simples saída como um "ritual social", tornando-se algo de tão banal que nem nos apercebemos da consequência.

Pensa-se, em senso comum, que o café é um excitador, que nos retira o sono e nos coloca mais eléctricos mas no entanto o seu método de actuação é como inibidor.
A cafeína é uma antagonista da adenosina, ou seja, inibe que a adenosina cumpra as suas funções. A adenosina por sua vez age como redutor do ritmo cardíaco, dilatando os vasos sanguíneos, redutor da pressão sanguínea, redutor da temperatura corporal, sintomas próprios de quando nos sentimos cansados, fatigados ou sonolentos. Ao bloquear esta substância sentimo-nos mais activos, com perda de sono e com forças estabelecidas. Estudos comprovam que a cafeína é capaz de aumentar a performance dos indivíduos em tarefas manuais tais como conduzir, apesar de poder diminuir a performance em tarefas que envolvam coordenação muscular complexa.

A cafeína aumenta também a concentração de dopamina, uma substância relacionada com o prazer, que suscita uma ainda maior dependência. Nos 15-45 minutos após a ingestão, a cafeína começa a actuar a nível fisiológico, atingindo o máximo efeito no sistema nervoso central entre 30 e 60 minutos após a ingestão, quando tomada excessivamente, a cafeína pode provocar tremores (ataxias), aumento da pressão arterial e do ritmo cardíaco.
Um dos efeitos mais importantes é a nível do sono pois, ao tomar cafeína consecutivamente, o organismo perde a capacidade de repousar o necessário para se reabilitar, caindo num estado de sonolência, de má disposição, de cansaço e constantes dores de cabeça provocadas pela dilatação dos vasos sanguíneos. Como consequência, o indivíduo terá carência de doses cada vez maiores para produzir o mesmo efeito, anteriormente sentido com uma dose menor (processo de habituação ou tolerância).

Os efeitos da cafeína variam de indivíduo para indivíduo, de acordo com o seu peso e com a regularidade com que ingerem cafeína, e os seus efeitos são sentidos enquanto estiver presente na corrente sanguínea.
Dores de cabeça, irritabilidade, cansaço e incapacidade de concentração são alguns dos sintomas provocados pela interrupção abrupta da ingestão de cafeína.

Normalmente só se dá conta da real adicção à cafeina no preciso momento em que se deseja parar de ingerir.

O que continham os discos dos pc's da Al-Qaeda

Isto remonta ao ano 2001 quando um jornalista chamado Alan Cullison estava a relatar todos os acontecimentos passados no Afeganistão para o jornal "Wall Street Journal" e então num certo dia, ele ofereceu-se para comprar alguns computadores de uma loja que pertencera á al-Qaeda. Por 1100 dólares americanos ele comprou 2 computadores. Antes de entregar os discos dos mesmos a agentes da CIA ele deu-se ao trabalho de pesquisar a informação dos discos e partilhar com este mundo electronico alguns "mail's" que lá se encontravam. Interessante foi o facto de alguns mails terem sido (ou supostamente) escritos por Osama bin Laden.

Aqui ficam alguns desses mails, que decerto desperta a curiosidade de muita gente :)

To: Al-Qaeda Members in Yemen
From: Tariq Anwar
Folder: Outgoing Mail—To Yemen
Date: April 1998
I send you my greetings from beyond the swamps to your country, where there is progress and civilization … You should excuse us for not calling. There are many reasons, the most important of which is the difficulty of calling from this country. We have to go to the city, which involves a number of stages. The first stage involves arranging for a car (as we don't have a car). Of course, we are bound by the time the car is leaving, regardless of the time we want to leave. The second stage involves waiting for the car (we wait for the car, and it may be hours late or arrive before the agreed time). The next stage is the trip itself, when we sit like sardines in a can. Most of the time I have 1/8 of a chair, and the road is very bad. After all this suffering, the last stage is reaching a humble government communication office. Most of the time there is some kind of failure—either the power is off, the lines out of order, or the neighboring country [through which the connection is made] does not reply. Only in rare cases can we make problem-free calls …

To: Osama bin Laden
From: Abu Mosab al-Suri and Abu Khalid al-Suri
Via: Ayman al-Zawahiri
Folder: Incoming Mail—From Afghanistan
Date: July 19, 1999
Noble brother Abu Abdullah,
Peace upon you, and God's mercy and blessings.
This message [concerns] the problem between you
and the Leader of the Faithful …

To: Mullah Omar
From: Osama bin Laden
Folder: Publications
Date: April 11, 2001
… I pray to God—after having granted you success in destroying the dead, deaf, and mute false gods—that He will grant you success in destroying the living false gods, the ones that talk and listen. God knows that those [gods] pose more danger to Islam and monotheism than the dead false gods. Among the most important such false gods in our time is the United Nations, which has become a new religion that is worshipped to the exclusion of God. The prophets of this religion are present in the UN General Assembly … The UN imposes all sorts of penalties on all those who contradict its religion. It issues documents and statements that openly contradict Islamic belief, such as the International Declaration for Human Rights, considering all religions are equal, and considering that the destruction of the statues constitutes a crime …


Para quem não acredita na historia clique aqui.

A firewall do Windows Xp é realmente segura?

Se ao questionar-mos 100 pessoas acerca das políticas de segurança da Microsoft, vamos receber poucos feedback's negativos. A Microsoft modificou a sua antiga firewall de ligação á internet e substituiu-a por uma nova firewall que é activada por defeito aquando uma nova configuração de rede é efectuada.
Contudo esta firewall não consegue ser suficientemente "boa" pois só efectua metade do trabalho que deveria realizar, isto é, bloquear tanto o trafico que entra na maquina como o trafico que sai.
A afirmação que assombra a mente dos leitores é: "mas isso é o que eu preciso, eu preciso é de protecção exterior, pois interior não é preciso". Mas este pensamento está completamente errado, pois atravéz de simples programas (worms, trojans, etc..) a firewall pode ser desligada e então o utilizador ficar completamente vulneravél a ataques de qualquer ordem....

Esta firewall é encontrada em todas as versões do Windows XP e em todos os Service Pack's. Contudo para os utilizadores do windows que tenham uma minima preocupação com segurança no seu computador sugeria a mudança para uma firewall de uma outra empresa privada (€€).

Poderia agora mostrar exemplos práticos da actuação da firewall a certos ataques tanto externos como internos para mostar tudo o que escrevi, mas deixo para um outro post caso exista alguem realmente interessado no assunto.
De momento ja existem várias empresas de seguranca que resolvem este "pequeno" problema atravez das firewall's privadas, mas acessiveis a todos os utilizadores.

sábado, agosto 14, 2004

Esclerose Múltipla

Por incrível que pareça quando se fala de Esclerose Múltipla na população portuguesa a primeira ideia que se tem é de uma doença relacionada com os ossos, algo semelhante a osteoporose. Também pensaste isso? Então tens estado errado este tempo todo.
A Esclerose Múltipla é uma doença do Sistema Nervoso Central que se caracteriza pela desmielinização dos axónios que conectam os neurónios. Esta desmielinização processa-se em placas, daí as placas de esclerose.
Para quem não sabe a mielina é uma substância que envolve os axónios que além de os proteger é responsável por uma condução mais rápida e eficiente dos impulsos electroquímicos que são responsáveis por todo o funcionamento do nosso corpo.
Este processo de desmielinização provoca vários sintomas tais como: alteração da visão, fadiga, dor, perda do equilíbrio e de coordenação dos movimentos, espasticidade (hipertonia muscular), alterações cognitivas, alterações emocionais, problemas urinários, intestinais e sexuais.
Mas a grande dúvida nesta doença é precisamente aquilo que a causa, sendo ainda desconhecida. Acredita-se que a causa é dependente de factores como a localização geográfica, o sexo, a idade e a sociedade em que estão inseridos (verdadeiramente bizarro).
Surge entre os 20 e os 40 anos, e muito raramente na puberdade ou depois dos 60, o sexo feminino tem o dobro da probabilidade de sofrer desta doença e atinge maioritariamente a raça caucasiana, sendo muito rara em orientais em qualquer lugar que vivam. Tendo em conta o facto da transmissão genética esta doença possui, pelo menos, uma probabilidade 15 vezes superior de se manifestar em filhos ou irmãos de pessoas afectadas.
Também de assinalar que quanto mais perto do equador maior a probabilidade de sofrer desta doença, principalmente em climas temperados como é o caso da Europa.
É de realçar a falta de informação sobre esta patologia, tanto nos media como em escolas, ou a distribuição de informação errónea que induz a população em conclusões não correspondentes à realidade como a associação a doenças ósseas.

Hi!

Olá, sou o João Rodrigues e sou aluno do segundo ano de engenharia do ambiente na FCT. Acrescentarei alguns posts sobre problemas que afectam o nosso planeta, tentando alertar e ao mesmo tempo informar. Até à próxima :p

Olá, Olá...

Olá a todos, chamo-me Helena e, actualmente, frequento a Licenciatura bi-etápica de Fisioterapia. Interesso-me por assuntos relacionados com saúde (como é óbvio…), ciência e começo a despertar um certo gosto por arte e literatura. Tentarei partilhar neste espaço o meu gosto e conhecimento acerca destes (e eventualmente de outros) temas, esperando sinceramente que este blog sirva para estimular o bichinho da curiosidade de cada um que o ler...

A vocês, uma boa leitura e interessante viagem pela estrada do conhecimento...

Apresentaçao

Boa noite, sou o Orlando, estudante de Eng. Informatica na Ubi (Universidade da Beira Interior) e disponho-me aqui para poder contribuir com algo lucrativo que aumente tanto o conhecimento daqueles que vao ler os meus textos como tambem aumentar o interesse dos mesmos pela minha area cientifica.
Vou certamente dedicar-me mais a informatica pois e o que realmente gosto, mas contudo vou tentar captar informacoes de tudo o que for aqui escrito.
Fico totalmente disponivel para responder a alguma duvida que possa aparecer em relacao ao que por mim for aqui escrito. Fiquem bem.

Orlando Pereira

arô

Edgar Madaleno ao vosso dispor. Trabalhei na área da Manutenção Industrial e Montagem de Automatismos, estando agora a concorrer para o ensino superior para Eng. Electrotécnica. Gosto de varias temas como, política, futebol, história mundial, arqueologia entre outros.
Em termos políticos pode-se dizer que sou de esquerda, revolucionário, e em termos religiosos, ateu convicto.
Gosto de ser esclarecido, e também esclarecer, espero que este blog sirva para ambas as coisas.

sexta-feira, agosto 13, 2004

Olá

Sou David Leal, sou professor efectivo de Ciências da Natureza do ensino público.
Sou licenciado em ensino e trabalho com alunos do 5º e 6º anos de escolaridade há 8 anos.
Interesso-me por astronomia e por meteorologia, mas também por história e política. Na história, tenho preferência por assuntos relacionados com a história do comunismo, com a história da União Soviética e com a história dos Judeus. Na política, sou de esquerda e nem sempre sou politicamente correcto.
A minha atitude perante as religiões e assuntos similares é de total descrença, situo-me por isso, dentro do ateísmo há largos anos.
Espero poder contribuir para este blog, que agora começa, com alguns posts acerca dos assuntos a que já me referi.
Até ao próximo post!

Apresentação

Sou Luís Pereira, frequento actualmente a Licenciatura de Psicologia da Universidade Da Beira Interior, querendo enveredar pelo ramo de Psicologia Clínica, tendo em vista uma pós graduação em NeuroPsicologia.
Este post é apenas para apresentação dos elementos que aqui escreverão os seus artigos, fazendo cada um pessoalmente essa mesma apresentação.
Sou ateu assumido e convicto, quanto a política possuo umas ideias algo revolucionárias tendo em conta o sistema actual mas no entanto a preferência recai para a esquerda.
Tudo o que diga respeito a sistemas corticais e neurológicos é susceptível de despertar o meu interesse, sendo assim possível que coloque alguns posts sobre esse tema.
Espero que este projecto tenha o sucesso que tem a capacidade de ter, mas acima disso que sirva como um sítio de referência e verdadeiro "serviço público".
Cumprimentos

O ínicio

Este é o ínicio daquele que se pretende seja um dos blogs mais didácticos e informativos na blogosfera acerca de toda uma panóplia de temas.
Serão aqui conciliados os conhecimentos de estudantes ou licenciados de um vasto número de cursos, pretendendo-se assim fornecer ao leitor do blog uma informação generalizada e ao mesmo tempo especializada devido ao tema de interesse de cada autor.
Se estás interessado em participar activamente neste blog, contacta o mail het@netvisao.pt.
O saber não ocupa lugar.